bateria

Recarregar a bateria do carro não tem muito segredo, e recorrer à chupeta é uma prática mais do que comum, inclusive há diversos tutoriais na internet ensinando leigos a realizar a prática com segurança. Mas, existem algumas particularidades em recarregar bateria de veículos que poucas pessoas sabem.
Confira 6 curiosidades que merecem a sua atenção:

1) Quando a bateria está totalmente descarregada (nenhuma luz interna acende e o veículo não liga), significa que a bateria pode estar isolada. E, quando se liga o carregador na bateria diretamente no carro, sem um acumulador, há um pico de tensão que pode queimar o módulo de injeção e outros componentes. Ou seja, há o risco de “cozinhar o veículo”.

2) Fazer chupeta num carro que está com a bateria isolada pode causar um pico de tensão por falta de acumulador e isso pode queimar módulo e painel.

3) Inverter a polaridade (mesmo que por um instante) pode estourar a fonte de módulo e até mesmo o romper a trilha do painel, pois o diodo, a fonte e o capacitor não aguentam a carga.

4) Trocar uma bateria pela bateria de outro carro, fazê-lo funcionar e desligar os cabos enquanto alguém acelera para devolver no lugar a bateria que estava fraca pode queimar o módulo, o painel, o aparelho de som ou outros componentes.

5) Improvisar a ligação da bateria com fios destinados a tomadas residenciais ou autofalantes automotivos podem sobreaquecer e iniciar um incêndio.

6)  Utilizar um cabo mais longo e espesso para fazer chupeta na bateria é mais prático e seguro. Não deixe de conhecer o cabo para recarga de bateria Foxlux.

cabo-recarregar-bateria-foxlux

Conteúdo adaptado de: https://goo.gl/gFw1dm e https://goo.gl/hS7dZY